Com o tema Câncer de Mama – informar, prevenir e cuidar- Câmara promove audiência pública alusiva ao Outubro Rosa

Encontro vai acontecer na manhã desta quinta-feira (10) no Plenário Silvânio Barbosa.

Uma manhã de orientação e prevenção ao câncer de mama, marcada pela participação de médicos, profissionais da saúde e representantes da sociedade civil – assim está prevista para ser a Audiência Pública proposta pela vereadora Fátima Santiago (Progressista) sobre o Outubro Rosa. Com o tema Câncer de Mama – informar, prevenir e cuidar, o encontro acontecerá na manhã desta quinta-feira (10), a partir das 9h no Plenário Silvânio Barbosa na Câmara Municipal de Maceió, localizada no bairro do Jaraguá. 


Para a vereadora, a importância de ações de conscientização e de medidas preventivas para diminuir os índices de casos é imprescindível. A parlamentar é também médica ginecologista e fundadora do Instituto que mantém uma unidade móvel de cuidados com a saúde da mulher – Nossa Senhora de Fátima. “O câncer de mama pode ser percebido pela mulher como um caroço – acompanhado ou não de dor. A pele da mama pode ficar vermelha ou parecida com uma casca de laranja ou surgirem alterações no bico do seio/mamilo. Conhecer o que é normal em suas mamas e ficar atenta para eventuais alterações são primordiais. Quanto mais rápida a detecção, maiores são as chances de cura”, alerta Santiago.

Santiago reforça que além da rede pública de saúde demandar um melhor aparelhamento, a elaboração de políticas de assistência à saúde das mulheres alagoanas, deve ser feita de forma permanente. “As mulheres têm risco aumentado de desenvolverem câncer de mama. As causas estão relacionadas a hábitos nocivos como uso de álcool e cigarro, má alimentação e sedentarismo, somados a fatores hereditários, que contribuem para a alta incidência da doença. Por isso, quanto mais consciência sobre a importância do autoexame e da mamografia, maior a possibilidade de detectar a doença em seu estado inicial. Se diagnosticado e tratado com antecedência, as chances de cura são maiores”, concluiu.