Polícia Civil prende suspeitos de ligação com a morte de motorista de aplicativo

A

Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) realizou uma entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (6), para dar detalhes da prisão dos suspeitos do latrocínio – roubo seguido de morte – do motorista de aplicativo José Walmir da Silva Calado. Três homens foram presos e um está foragido.

Foram presos Carlos Eduardo Alves da Silva, Djailton da Silva Domingos e José Pedro Tenório de Albuquerque. Está foragido um suspeito identificado apenas como ‘Colombiano’, que, segundo os demais, foi o responsável por atirar contra José Walmir.

indice - SSP apresenta nomes dos três detidos por morte de motorista; um está foragido

Suspeito identificado apenas como ‘Colombiano’ é considerado foragido (Foto: Divulgação)

O comandante do 8º Batalhão, major PM Wagner Coutinho, disse que, quando o caso ainda era tratado como desaparecimento, guarnições do 8º Batalhão chegaram a realizar buscas em uma mata e um canavial no município de Pilar, mas nem o veículo nem José Walmir foram localizados.

O Grupo de Investigações da Delegacia Geral da Polícia Civil deu início às investigações, após receber informações sobre o caso e as prisões foram realizadas em Maceió, nos bairros do Farol e Clima Bom, e em Marechal Deodoro. ‘Colombiano’ foi localizado em sua residência, no município de Boca da Mata, mas conseguiu fugir.

Segundo o coordenador do Grupo de Investigações, Berenaldo Lessa, Djailton e José Pedro abordaram José Walmir e se passaram por clientes. Eles renderam o motorista, que foi levado para uma mata situada em Marechal Deodoro, onde foi espancado e atingido por um tiro na cabeça.

“O Carlos Eduardo encomendou o roubo do automóvel e é suspeito de participar de um esquema de clonagem de veículos. Ele vendia os veículos roubados em Goiás e trocava por drogas. Em depoimento disse que queria o veículo para atuar como motorista. O José Walmir acabou sendo baleado pelo ‘Colombiano’, que decidiu matar a vítima”, revelou Berenaldo Lessa.

A polícia descobriu nas investigações que o carro foi vendido por R$ 2 mil e que Djailton, José Pedro e ‘Colombiano’ teriam recebido de Carlos Eduardo R$ 600 pelo crime.

O secretário adjunto de Políticas da Segurança Pública, Manoel Acácio Júnior, disse à imprensa que as investigações terão continuidade para localizar o veículo da vítima e também apurar se outras pessoas estão envolvidas com o crime.

Segurança Pública se reúne com motoristas de aplicativo

Durante a manhã desta terça-feira (6), o secretário Manoel Acácio reuniu representantes dos motoristas de aplicativo de transporte particular de passageiros para iniciar um planejamento para garantir a segurança dos profissionais. Outros encontros deverão acontecer para traçar estratégias e ações específicas.

“Já ficou definido que a delegada Maria Angelita, titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), ficará responsável pela apuração de crimes contra motoristas cadastrados em aplicativos. Iremos ter outros encontros para definir estratégias que garantam a segurança dos motoristas e também auxiliem a segurança pública na identificação de quem tente cometer crimes”, afirmou Manoel Acácio.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Vanessa Siqueira