TJ exonera servidora que teria vazado informações sobre operação policial

Apesar de preservar o nome da servidora, a Assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça (TJ/AL) confirmou que o órgão decidiu exonerar a servidora que teria enviado áudios pelo aplicativo WhatsApp com detalhes sobre uma operação policial, realizada no Agreste alagoano.

Na nota distribuída à imprensa, a Assessoria afirmou que “tendo em vista os recentes fatos que culminaram com a decretação da prisão da servidora da 8ª Vara Criminal de Arapiraca, o Tribunal de Justiça de Alagoas vem a público esclarecer que o Judiciário, por meio da Presidência e da Corregedoria-Geral da Justiça, tomou e continuará tomando todas as medidas administrativas e judiciais cabíveis para apurar as possíveis infrações cometidas, observando-se o devido processo legal. Cumpre informar que, a pedido do Juiz daquela unidade judiciária, a Presidência desta Corte já determinou a exoneração da servidora em questão do cargo em comissão que ela ocupava”.

A servidora foi presa na manhã de hoje (6), em Arapiraca, mas a identificação dela permanece sendo mantida em sigilo.

SEM COMENTÁRIO